sinfonias de luar...

a música é muito mais que um mero conjunto de palavras mais ou menos harmoniosas, que se revelam no desenrolar da sonoridade das notas musicais, que um dia alguém criou. a música é uma arte capaz de expressar o que vai na alma do artista no momento da sua criação, e que entra nos nossos ouvidos muitas vezes pra não mais sair. a música é uma forma de expressão, de liberdade e de sentimentos que vive ao sabor do nosso estado de espírito. a musica é tão só e simplesmente, o mais maravilhoso distúrbio sonoro que existe.


 sinfonia nº 3

O peso da rotina nunca nos larga. diria até que, de certa forma, nos acomodamos, habitua-mo-nos  a deixar que as coisas permaneçam exactamente como sempre foram. Não que não tenhamos vontade de mudar, mas apenas porque sabemos que as mudanças podem ser difíceis e não serem assim tão favoráveis. Por outras palavras, somos assombrados pelo medo de falhar e de nos arrependermos de ter lutado por conquistar tais mudanças. Preferimos permanecer imóveis e deixar que as coisas aconteçam por si só, o que raramente acontece. Mas certas mudanças são inevitáveis, precisamos delas pra nos sentirmos vivos. faz parte do crescimento: lutar, tropeçar, cair, chorar...mas depois de lamber as feridas há que ter a coragem de levantar a cabeça, erguer-se, fixar o horizonte e seguir o caminho. como um dia alguém disse: " o caminho se faz caminhando" e nada vais mudar isso. o nosso caminho ninguém o faz por nós, cada um carrega o seu fardo ao longo da vida e não pode deixa-lo para trás só porque este é demasiado pesado ou só porque o caminho é demasiado longo... ninguém disse que viver era fácil... são as adversidades da vida que tornam o caminho interessante. se fosse fácil não saberíamos o quão gratificante é a sensação de lutar por um ideal, e conseguir alcança-lo!  mas pra chegarmos a bom porto necessitamos de nunca perder certas companheiras de viagem, são elas a coragem, a paciência, a fé e a força!  Coragem para lutar, Paciência para entender, Fé para confiar, Força pra nunca desistir... além disso.. a vida por si só é uma constante mudança... medos impedem-nos de sonhar... e sonhos encorajam a vida! sejamos nós próprios a mudança que esperamos ver no mundo..




sinfonia nº 2

a cada dia somos inundados de estados de espírito diferentes, nos corações onde hoje mora a alegria, amanha pode reinar a saudade, ou a tristeza. a musica que ouvimos faz transparecer a nossa personalidade e as emoções do momento e por isso as nossas playlist diárias mudam ao sabor dos nossos altos e baixos. justamente por estar com um misto de sentimentos que ainda não consegui decifrar, diria que me sinto um tanto ao quanto melancólica, com uma certa nostalgia, e diria até saudade de algo que ainda não aconteceu, se é que isso é possível. em fim, nem sempre conseguimos interpretar os sinais da nossa alma e por isso mesmo a música que deixo ficar por aqui hoje só podia revelar isso mesmo... alguma nostalgia, uma certa confusão de sentimentos e uma certa saudade de algo que um dia se torne real.


 


 sinfonia nº 1

pois bem... lá fora está a chover e é tempo pra mais uma partilha sonora desta vez "regada" , não pela chuva mas, pelas minhas "lágrimas". e as ditas "lágrimas" estão entre aspas por uma simples razão... por serem apenas vontade e não realidade. sim! há dias em que por maior que seja a vontade de fazê-las rolar como rios escorrendo dos nossos olhos, elas teimam em não sair. acontece quanto não estamos tão só e apenas tristes mas também um pouco, não diria resignados mas, frustrados com os acontecimentos. é triste ver as nossas expectativas virarem fumaça. é triste descobrir que por mais que se tente não se alcança... é triste saber que aquilo que mais ambicionamos nunca nos pertencerá. contudo, existe sempre uma réstia de esperança que teima em por as manguinhas de fora e dizer: "não desistas! eu estou aqui!". é essa escassa esperança que nos faz enxugar as "lágrimas", "lamber" as feridas, erguer a cabeça e seguir em frente, rumo à próxima meta. mas seguir caminho de coração partido não é fácil, deixa-nos ora demasiado vulneráveis, ora demasiado duros com aqueles que eventualmente se vierem a cruzar connosco. remendar um coração em pedaços leva tempo ... é necessária muita paciência e compreensão.  no fundo gostamos de fazer-nos fortes, de mostrar-nos inquebráveis, para que ninguém tenha "pena" de  nós. e quando agimos assim, os outros pensam que aguentamos tudo, que suportamos bem a dor, que temos coração de pedra, que podemos carregar o mundo nos ombros e não é bem assim. na realidade somos pessoas frágeis, aguentamos tudo até certo ponto... mas quando nos vamos abaixo é duro voltar a erguer a cabeça, até porque temos de admitir as nossas fraquezas perante os outros, mas não há outra alternativa. há que por o orgulho de lado e tratar de não perder a fé em nós próprios, há que procurar um ombro amigo pra ajudar a carregar os nossos fardos. é nessas alturas que descobrimos quem são os verdadeiros amigos. os que se mostrarem demasiado ocupados pra nos ouvir não merecem nossas lágrimas. os que realmente se importam connosco sabem ler o nosso olhar, sabem quando atrás do nosso sorriso se escondem as nuvens, oferece seus ombros e seus ouvidos sem que seja necessário implorar pela sua atenção. .. sei o que vão pensar:" já não se fazem amigos assim!"  é verdade, amizades assim são raras porque neste mundo somos todos egoístas, o nosso umbigo é o centro do mundo, a cumplicidade entre as pessoas sumiu, a confiança mutua já não existe mais. agora confia-se desconfiando, agora partilham-se supostos "segredos" cuja vontade é mesmo que se saibam, agora amizade  é um factor dependente da necessidade momentânea e não um motivo de alegria e felicidade. a maioria das pessoas quando se aproxima de nós já vem com 2as e 3as intenções, e quando se esgotam, deixa de existir motivo de aproximação. as pessoas já não sabem mais cultivar amizades, estender a mão sem pensar no que receberão em troca, oferecer atenção e disponibilidade. e eu pergunto: haverá recompensa maior do que "pagar" amizade com amizade? é disto que o mundo precisa. que olhemos uns para os outros de forma sincera e altruísta e que tenhamos prazer em oferecer aquilo que temos de melhor... uma mão pra dar, um carinho pra consolar, um ouvido pra escutar, um ombro pra chorar, um sorriso pra cativar e um coração pra morar.        


1 comentário:

  1. Em resposta ás belas sinfonias, eu digo o seguinte:
    Sinfonia nº1 - É tudo muito verdade quando dizes que as verdadeiras amizades são poucas, quase escassas. Enquanto Observador que me tornei, sempre reparei que amizade não signifca cumplicidade. No entanto, há sempre os persistentes, que ensinam ao resto das pessoas,
    a verdadeira cumlicidade. Observo este mundo desde que nasci. Não posso dizer que tenha tido muitos amigos. Tive mais conhecidos e alguns estranhos que entraram na minha vida e eu entrei na vida deles. Mas, sempre deixei a minha marca neles.
    Sinfonia nº2 - Aprendi isto num filme que prezo muito e que descobri recentemente na minha vida.
    " As emoções são como as nuvens ...
    Sente-as e liberta-as ..."
    Não podemos confundir o que achamos que sentimos, com o que realmente sentimos.
    Nisso, tenho de dizer que prefiro sentir, porque
    alivia ... E centra-me ..
    Sinfonia nº3 - Constato que descobriste um dos muitos segredos da vida. A sua constante mudança. Eu não mudaria nada do que disseste brilhantemente, apenas reformularia algumas coisas.
    Adaptarmo-nos á mudança é uma constante.
    Vivemos numa cultura onde é glorificado a vitória e o sucesso. No entanto, não olhamos da mesma forma para as nossas derrotas com essa glorificação. Concentramo-nos onde não pudemos ir. Vitória não é só o culminar de muitos actos e passos. É também a capacidade de ver as derrotas como vitórias pessoais.
    Eu digo para lá das nuvens está o céu azul e para lá dele, as estrelas.
    Por vezes, temos de largar os nossos próprios fardos e voar. Não há mal nenhum na derrota.
    Devemos lutar ? Com certeza.
    O problema é a maneira como o fazemos.
    Lutar implica uma vontade de mudança.
    Mas, também significa esforço.
    Com a forma certa de lutar, isso não vai parecer um esforço, porque não o é.
    Apenas estamos de estar dispostos a dar um passo que segue outro e outro ...

    ResponderEliminar